Como saber ensinar ajuda você a vender on-line?

Postado em Aug 22, 2022 |

Saber ensinar e saber vender são duas habilidades mais próximas do que você imagina! Como ensinar e vender on-line é o que você vai saber nesse post!

    

Saber ensinar é saber vender

Muitos dos meus alunos e das pessoas que me procuram na mentoria apontam como a maior dificuldade para empreender ensinando on-line a dificuldade de vender.

Com tantos métodos e a overdose de informações que recebemos todos os dias quando decidimos empreender e vender na Internet, nós acabamos nos esquecendo do essencial: ensinar também é vender!

Sim, ensinar é vender ideias, conhecimento, reflexão, aprendizado, partilha.

A cada aula, seja ela presencial ou on-line, nós precisamos captar a atenção dos nossos alunos, convencê-los da importância daquele aprendizado, envolvê-los no processo e nos certificarmos do aprendizado.

Rubem Alves (um grande educador e não um dos muitos “especialistas” em marketing digital que pipocam por todos os lados) nos dá um exemplo bem simples na crônica “como ensinar” publicada no livro “Ostra feliz não faz pérola” (Editora Planeta, 2008):

Se eu fosse ensinar a uma criança a arte da jardinagem, não começaria com as lições das pás, enxadas e tesouras de podar. Eu a levaria a passear por parques e jardins, mostraria flores e árvores, falaria sobre suas maravilhosas simetrias e perfumes; a levaria a uma livraria para que ela visse, nos livros de arte, jardins de outras partes do mundo. Aí, seduzida pela beleza dos jardins, ela me pediria para ensinar-lhe as lições das pás, enxadas e tesouras de podar.

É a partir dessa fala que eu quero que meus alunos e todos os professores que acham que “não sabem vender” entendam que estão muito enganados, e que: saber ensinar é saber vender!

Na crônica ele ainda traz outros exemplos sublimes da arte de “vender” o que se vai ensinar, mas acho que esse exemplo é claro o suficiente para ilustrar a questão central desse post:

   

Como saber ensinar ajuda você a vender on-line?

Você já ouviu falar no conceito AIDA como método de vendas?

O acrônico AIDA (Atenção, Interesse, Desejo e Ação) representa as quatro fases pelas quais o cliente deve passar para tomar a decisão de comprar.

Mesmo sem que eu me concentre em explicar cada uma dessas etapas do ponto de vista do marketing digital, você pode identificar as etapas do “como ensinar” mostradas por Rubem Alves, não é mesmo?

Esse também é o processo que eu mesma usei para justificar minha afirmação de que saber ensinar é saber vender:

A cada aula, seja ela presencial ou online, nós precisamos captar a atenção dos nossos alunos, convencê-los da importância daquele aprendizado, envolvê-los no processo, certificarmo-nos do aprendizado.

    

Método AIDA para ensinar e vender:

   

Atenção

O primeiro passo para conquistar alunos e clientes é chamar a atenção deles para sua oferta. Aqui nós estamos falando de:

  • título de um post no seu blog,
  • imagem e headline (que é o mesmo que título) nos posts nas redes sociais e vídeos no YouTube
  • chamada para sua aula

Ou a visão do jardim na aula de jardinagem do Rubem Alves:

Se eu fosse ensinar a uma criança a arte da jardinagem, não começaria com as lições das pás, enxadas e tesouras de podar. Eu a levaria a passear por parques e jardins,

   

Interesse

Chamar a atenção é o primeiro passo, mas despertar o interesse de saber mais é essencial para que o processo possa continuar.

Aqui nós falamos da percepção que seu aluno/cliente/seguidor terá do seu trabalho/sua oferta. Todas as informações em destaque como imagem, título, subtítulo, apresentação, layout, design devem passar a confiança necessária.

Seus “parques e jardins” precisam inspirar confiança, caso contrário, ninguém vai querer passear por lá, não é mesmo?

    

Desejo

Essa é a melhor fase do processo, é a conversa, o envolvimento, que vai da “paquera” ao casamento passando pelo “relacionamento sério”.

Na aula de jardinagem seria assim:

mostraria flores e árvores, falaria sobre suas maravilhosas simetrias e perfumes; a levaria a uma livraria para que ela visse, nos livros de arte, jardins de outras partes do mundo.

Na sua aula/post/vídeo é o desenvolvimento e aqui você poderá tomar diferentes vertentes, dependendo do tema a ser abordado e do seu objetivo.

Se você ensina e vende cursos de inglês por exemplo, você pode:

  • falar sobre as vantagens de aprender a língua
  • mostrar pessoas bem-sucedidas falando a língua
  • levar os alunos a terem um primeiro contato com a língua para despertar o desejo de aprender
  • mostrar alunos que já estão aprendendo com você: resultados, realizações, o feedback deles

Entre muitas outras coisas que você pode mostrar para despertar nos seus alunos a vontade de aprender e de continuar aprendendo.

No seu interlocutor (nas redes sociais por exemplo) o objetivo será despertar nele a vontade de aprender com você.

Importante: assim como em um relacionamento amoroso, no ensino e no marketing, o desejo também não pode morrer. Quando não desejamos mais a companhia de uma pessoa ou simplesmente perdemos o interesse no relacionamento, ele acaba.

Quando nossos alunos perdem o interesse nas aulas eles não aprendem e desistem de continuar estudando.

Quando nossos clientes perdem o interesse nos nossos produtos e serviços, nosso negócio acaba e claro:

Quando nossos seguidores perdem o interesse nos nossos posts eles deixam de nos seguir (e consequentemente, nosso negócio para de crescer).

Visto por esse ponto de vista, tanto ensinar e quanto vender é saber se relacionar com outras pessoas.

    

Ação

Aí, seduzida pela beleza dos jardins, ela me pediria para ensinar-lhe as lições das pás, enxadas e tesouras de podar.

Sim, é assim que funciona!

Quando nossos alunos estão envolvidos e seduzidos pela possibilidade de aprender o que eles desejam saber, é muito mais fácil ensinar (e vender cursos, aulas, livros, programas de mentoria on-line).

A ação será facilitada pelo que chamamos no marketing de Call-to-Action ou chamada para ação:

Na sala de aula (presencial ou on-line) a chamada para a ação pode ser simplesmente um “pegue papel e caneta para anotar pois a aula vai começar!”

Pode parecer um exemplo banal, não é mesmo?

E é banal, assim como são banais as chamadas para a ação. Tão banais, que muitas pessoas esquecem de fazer e outras sobrecarregam o público, da mesma forma que alguns professores sobrecarregam seus alunos com tarefas.

A dica aqui é: peça o que quiser, mas faça-o com clareza! E principalmente: inclua sempre uma chamada para a ação nos seus posts, vídeos, artigos e aulas.

   

Alguns exemplos de chamada para a ação e sua utilidade:

   

Engajamento

Esses são alguns exemplos de chamada para a ação que buscam aumentar o engajamento nas redes sociais e nas aulas também:

  • Deixe seu comentário!
  • Comente!
  • Responda!
  • Deixe sua opinião!
  • Complete a frase:

   

Alcance

Alguns exemplos de chamada para a ação que buscam aumentar o alcance do seu conteúdo nas redes sociais e estimulam o famoso “boca a boca”:

  • Compartilhe esse post e (bom motivo para compartilhar)
  • Convide seus amigos/sua rede para participar/conhecer
  • Marque nos comentários as pessoas que podem se interessar/que vão gostar/ que precisam
  • Envie as pessoas que podem se interessar/que vão gostar/ que precisam

Aqui no blog por exemplo, eu uso a seguinte chamada:

Conhece mais alguém que pode se beneficiar desse conteúdo/curso/informação ?

Exerça sua generosidade e compartilhe esse post.

    

Conversão

Alguns exemplos de chamada para a ação que buscam aumentar a conversão de visitantes/interessados em contatos e clientes:

  • Inscreva-se agora
  • Baixe o eBook
  • Assista à aula
  • Assine a nossa newsletter
  • Participe do evento

entre muitas outras.

    

Ensinar e vender não são sinônimos

Não, ensinar e vender não são sinônimos, mas no contexto de quem empreende ensinando on-line, esses dois verbos não estão completamente dissociados uns dos outros.

Se você se preocupa com seus alunos e com o que você ensina, você repete (mesmo sem ter consciência disso) o processo AIDA todos os dias, em todas as aulas.

Para vender você só precisa mudar a sua chamada para a ação no final de “anote a tarefa de casa” para uma que gere engajamento, aumente o alcance do seu trabalho e/ou promova seus serviços e produtos.

    

Considerações finais de professora para professores:

  • se a sua profissão é ensinar, é normal que você ganhe dinheiro ensinando
  • se você empreende, é normal que você tenha um produto ou serviço para oferecer
  • se você não disser para seus alunos o que eles precisam/devem fazer, eles não fazem NADA
  • você pode repetir a mesma coisa TODOS os dias e grande parte não vai entender

Por isso, não tenha medo de falar do seu trabalho todos os dias nas redes sociais! Você vai sempre procurar uma nova maneira de falar, mas você vai falar!

Divulgar nosso trabalho, nossos produtos e serviços é um exercício diário e precisa se tornar um hábito como tomar banho e escovar os dentes.

Você pode fazer isso de uma maneira simples e autêntica, construindo uma Presença Digital que esteja alinhada com seu propósito, objetivos e sua personalidade:

   

Conhece mais alguém querendo aprender a ensinar e a vender on-line?

Então, exerça sua generosidade e compartilhe esse conteúdo!

Categorias: Cultura Digital, Ensino Digital, Marketing Digital

Leila Adriano Ostoyke

Escola Digital sem Mistérios 

Olá! Eu sou a Leila! Professora, Empreendedora, criadora da Escola Digital sem Mistérios e se você permitir, a sua guia no empreendedorismo digital. Se você quer empreender ensinando on-line conheça nossos cursos e conte comigo! Para todas as suas dúvidas, comentários ou sugestões escreva diretamente para mim, eu não deixo ninguém sem resposta! Conecte-se e continue comigo nas redes: